ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ORTODONTIA 

Manifesto da ABOR
Associação Brasileira de Ortodontia-Ortopedia Facial
à Ortodontia e Ortopedia Facial Brasileira
à Odontologia e ao Público em geral





A Associação Brasileira de Ortodontia-Ortopedia Facial, órgão oficial representativo da especialidade no nosso pais e reconhecida pela WFO-World Federation of Orthodontists, tem acompanhado com muito interesse, atenção e equilíbrio as publicações, entrevistas e manifestações relativas a criação de uma nova especialidade: a Ortopedia Funcional dos Maxilares.

A criação desta nova especialidade, entre outras, na Odontologia será discutida nas Assembléias Preparatórias dos CROs-Estaduais e na II ANEO Nacional a ser realizada em Setembro na cidade de Manaus-AM.

A nossa especialidade tem como meta fundamental diagnosticar e corrigir as anomalias dento?faciais da população. O próprio Conselho Federal de Odontologia - CFO em suas diretrizes e bases define a nossa especialidade e diz claramente:

"...planejamento e execução do tratamento mediante a aplicação e controle de aparelhos mecanoterápicos e funcionais, pare obter e manter oclusões normais..."

O nosso campo de ação é a face, a parte mais nobre de qualquer ser humano.

A partir do nascimento as nossas atitudes profissionais deverão ser preventivas, interceptadoras e quando necessário corretivas no sentido de se obter:

a) Um correto desenvolvimento da face em geral: da maxila e mandíbula em especial. Esta é a meta da Ortopedia Facial, seja ela funcional e ou mecânica.

b) Um correto alinhamento e implantação dos dentes nestas bases ósseas, maxila e mandíbula. Esta é a meta da Ortodontia propriamente dita, calcada nos princípios da biomecânica.

Como conseqüência da integração e interação da Ortopedia Facial e da Ortodontia teremos o estabelecimento de uma Oclusão e Face normais e equilibradas do ponto de vista dinâmico-funcional.

Um sistema neuro-muscular, funcional, equilibrado na respiração, mastigação, deglutição e articulação dos fonemas (fonação), responsável pela estabilidade do sistema mastigatório.

Separar um ramo da Ortopedia Facial, a Ortopedia Facial Funcional, de todos os outros recursos terapêuticos da especialidade e semelhante a separação das partes de um todo.

Nós pertencemos  à área medica e como tal temos a obrigação de tratar todos os pacientes que nos procuram, apresentando soluções, isto é, terapia para todos.

Jamais poderemos nos tornar uma especialidade que se limita a procurar o paciente para o qual os nossos recursos estão indicados.

Assim sendo, fica claro e evidente que qualquer divisão ou retalhamento dos métodos terapêuticos da nossa especialidade, não tem suporte científico, profissional e conseqüentemente  é exclusivamente político.

Os danos e as conseqüências de tal atitude separatista refletir?se?ão na queda da qualidade clínica exercida na face e na oclusão dos nossos pacientes, que serão os maiores prejudicados.

Conclamamos todos os envolvidos, profissionais interessados e dirigentes responsáveis a uma reflexão clara, cientifica, clínica e responsável no sentido de uma união, de uma integração, de uma somatória de terapêuticas, apoiadas na evidencia cientifica da nossa especialidade.

A evolução cientifica levou a esta integração, assim ela é exercida em todos os países avançados do mundo.

Estamos seguros que o bom senso, a ciência e a necessidade de atendimento clinico com excelência há de vencer sempre,  pois esta é uma lei da natureza.

A ABOR esta consciente da realidade e evidencia científica dos fatos referentes a Ortopedia Facial Funcional e da sua importância no contexto da especialidade e que algumas posições necessitam ser ajustadas e fará tudo o que está ao seu alcance neste sentido.

Assim sendo a ABOR - Associação Brasileira de Ortodontia-Ortopedia Facial, dentre de suas funções e responsabilidades em nível nacional e internacional, esclarecerá e apontará quaisquer responsáveis à Odontologia Brasileira e a população em geral, relativos a este assunto.

ABOR - Associação Brasileira de Ortodontia-Ortopedia Facial
 
 
 

Prof. Dr. Kurt Faltin Junior
Presidente da ABOR
 



 
 

PRONUNCIAMENTO SOBRE DESMEMBRAMENTO


Cléber Biegain Pereira, C.D.
Por ser mais velho, conheci a "ortopedia funcional"  dos anos 50. Exceto raras e honrosas exceções, no Brasil, a grande maioria, dos ditos ortopedistas, eram profissionais que nada sabiam de Ortopedia Funcional dos Maxilares. Tiravam um molde,   muitas vezes só superior -  eu vi isto - e mandavam para o protético "especializado".
Por uma daquelas clarividências, que raramente Deus me dá, eu percebi muito cedo que a verdadeira ORTOPEDIA era uma filosofia de trabalho, que bem aplicada, seria de grande valia para o tratamento das más oclusões.
Também tive o privilégio de conhecer um jovem ( igual a mim naquele então de 1960 ) que havia feito sua formação na Alemanha, e era uma das raras e honrosas exceções referidas.  Desde ai passei a sonhar que um dia, Ortopedia e Ortodontia estariam juntas, atuando cada uma onde melhor pudessem beneficiar o paciente.
Mais tarde conheci personalidades de dimensão maior como Antônio Almeida, Kurt. Gaspar, Marcos Gribel, Wilma, que realizavam o meu sonho, usando ora uma técnica ora outra, ora uma filosofia ora outra, segundo a idade  e  peculiaridades de cada paciente. Coisa que eu nunca consegui fazer com desembaraço, pois minha formação foi mal orientada somente para um lado. Árvore que nasce torta é difícil endireitar. Mas, se eu não pratiquei meu sonho,  em sua plenitude, pelo menos entendi.
Quando "todo o mundo" entendeu isto e até oficialmente juntaram-se os nomes, para melhor caracterizar a união de filosofias e técnicas com um só objetivo final, ai aparece um movimento, envolvendo pessoas que conheço, admiro e respeito, desejando separar.
Será que devemos  voltar aos tempo em que aparelhos, sejam móveis ou fixos, de forma errônea  representavam filosofias e objetivos ???
Perdoem-me, esta eu não entendi...  Fico "pasmo de espanto".
Afetos do
Cléber