TRANSCRITO DA REVISTA "ORTODONTIA", ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PAULISTA DE ORTODONTIA - Ano VII - N 50 - Julho/Agosto 1997
Atualizado em 20/11/98 
ARQUIVOS GRANDES, MEMÓRIA RAM E OUTROS
Cléber Bidegain Pereira, C.D.

Estou voltando de Curitiba, onde fui dar aulas no Curso de Especialização em Ortodontia da ABO/PA. Sem menosprezar outros alunos, gosto muito especialmente de dar aulas nos cursos de especialização. O grupo sempre é super interessado com alto nível de inteligência. Talvez, por eu não ser tão inteligente quanto eles, justamente isso me fascine. Eles me estimulam, me impulsionam. Somente a experiência de mais de 40 anos de ortodontia e perto de 18 de informática, aplicada a ortodontia, possibilita-me deixar-lhes matéria de relevância. Relato alguns aspectos do que se falou, pois parece-me que podem ser de interesse dos leitores dessa coluna.

Antes quero ressaltar que o referido curso está muito bem estruturado, coordenado pela Prof. Dayse Urrias, que soube reunir um excelente grupo de professores, os quais, por sinal, deram-me a honra de assistir às aulas. O grupo está preocupado em colocar um pé no futuro. Prova disto, é que já compraram um projetor de imagens eletrônicas e têm sua própria homepage.

Alguém me contou que havia montado aulas no Power Point, para demonstrações eletrônicas, e, assustado, perguntou-me o que faria com os arquivos que chegavam aos 100 MB... Perdoem-me que responda de forma extensa. Sou um incorrigível prolixo... Contei que meu primeiro micro PC tinha um "poderoso" winchester de 20 MB. Portanto, se a pergunta tivesse-me sido feita naquela época, eu teria de responder-lhe que deveria colocar em cerca de mil (1.000) disquetes de 180 Kb, ( ainda não tinham surgido os disquetes de dupla face, que comportavam 360 Kb). Porém, agora a resposta encontra múltiplas e fáceis possibilidades. O mais comum é se ter dois winchester ( pode-se ter até quatro em um mesmo micro). Winchester com mais de 3 Gb são econômicos , muito mais barato do que aquele de 20 MB do início dos anos 80. Em um dos winchester tem-se os programas e guardam-se os arquivos de trabalho. O segundo, serve como Backup. Com o preço barato dos winchesters, hoje em dia, não há motivo para negligenciar e deixar de fazer cópia diária de tudo que se produziu de importante. As máquinas se estragam. Os winchesters são passíveis de, a qualquer momento, sem aviso prévio, deixarem de funcionar colocando a perder valiosos documentos, caso não se tenham cópias deles. Quando se reunem arquivos em total aproximado de 600 MB, fazem-se cópia em CD ROM. Hoje existem, por todos lados, empresas prestadores de serviços de informática que copiam CD ROM a baixo preço. O CD ROM é um meio confiável e econômico de armazenar arquivos, afastando a preocupação do que fazer com os grandes arquivos. Já me perguntaram, os CD ROM, não sendo regraváveis, faz com que arquivos de um mesmo paciente, tomados em tempos diferentes, fiquem em CD ROMs separados. Como o custo da gravação baixou muito, pode-se de tanto em tanto, juntar estes arquivos em uma outra gravação de CD ROM. E é bom enfatizar que o fato de não serem regraváveis é uma vantagem. Estão assim imúneis aos vírus e de serem delectados por acidente.

Além destes recursos, há o ZIP DRIVE, de 100 MB - e, também, de 1 GB - que podem servir como armazenamento temporário. Houve um tempo em que usávamos as fitas backup, aos quais hoje estão descartadas por serem o meio menos confiável de armazenamento mesmo temporário de arquivos eletrônicos. O Zip Drive de 100 MB popularizou-se, pelos seus préstimos, segurança e baixo preço. Hoje é quase um complemento indispensável. Além de eventualmente servir como armazenamento temporário, presta-se para a transferência de arquivos entre colegas.

Sobre armazenamento de arquivos, saiba-se que, em futuro não muito longínquo, nossos arquivos serão guardados por terceiros. Formam-se hoje grandes empresas multinacionais, que estão dedicando-se ao armazenamento de arquivos eletrônicos, fazendo investimentos fantásticos em tecnologia e equipamentos. Por agora, isso ainda é privativos das macros empresas, porém, breve chegará até nós.

O tema das Memórias RAM merece ser comentado. Antes do Windows 95, quem tivesse 8 MB de memória RAM poderia trabalhar. Depois do Win 95, o mínimo passou a ser 16, sendo que é bem melhor ter 32. A diferença é realmente significativa.  Eu vinha a muito tempo com 32 MB, nos dois computadores que tenho em rede. Haviam me dito que 64 MB de memória RAM não acrescentava perfomance que justificasse o investimento. Mesmo assim, um dia destes, um pouco relutante, a título de experiência, coloquei 64 MB. Pois bem, o resultado foi tão sensacional, não esperei, no dia seguinte coloquei também 64 no outro computador. E as novas memórias ADO, de 60 nanosegundos são, por sí só, ainda mais rápidas. Na minha insáciavel ânsia de não perder tempo, fiquei pensando em mais tarde passar para 124. Foi quando li um trabalho, do Sr. Júlio Cesar V. Moreira, baseado em pesquisa da PC LABS BRASIL, o qual conclui que o máximo de aproveitamento é com 64 MB de memória RAM, acima disto os níveis de produtividade caem, ao invés de subirem. Dessa forma, pelo menos por agora, com as máquinas e programas que dispomos, o limite ótimo é 64 MB. (*) (**)

Ainda mais uma novidade nas minhas ponderações. Até bem pouco eu desaconselhava a que comprássemos equipamentos de projeção de imagens eletrônicas. Os equipamentos eram caros demais, estavam evoluindo muito rapidamente e me parecia mais conveniente alugar, ainda que o aluguel não fosse barato. Nestes últimos meses, a situação mudou. Já encontram-se, em diversas marcas tradicionais, equipamentos com excelente luminosidade ( 600 lumes), portáteis e o preço é aceitável.

Fiquemos na espera de que isso venha a acontecer, em breve, com as máquinas fotográficas eletrônicas, as quais, agora, imundaram o mercado com preços sedutores, porém tendo a parte ótica pobre, o que as invalida para fotografias com qualidade profissional, como necessitamos. As máquinas eletrônicas com ótica boa já apareceram, mas ainda com preços altos (***).


(*) O escrito completo está nessa homepage, em MEMÓRIA RAM.
(**) As maquinas modernas, como os Pentiuns II podem trabalhar com memória maior do que 64 MB. Com 122 MB ficam excelentes.
Imagens Eletrônicas na Odontologia e Ortodontia