Na qualidade de consultor de algumas revistas e organizações, recebo perguntas de estudantes e jovens ortodontistas. São perguntas inteligentes que me estimulam a responder. Aproveito algumas de minhas respostas e insiro aqui, na minha homepage, na esperaça de que possam servir de ajuda a outros  que estejam  no mesmo estágio de conhecimentos.


 


Oi meu nome é Elisangela
Sou estudante de Odontologia, e estou fazendo uma monografia em que o tema é "Falsa Classe III", gostaria, se possivel, que fosse-me enviado materias, artigos, publicações, e o que vocês possuirem.
Desde já agradeço.



Prezada Elisangela:
"Falsa Classe III".
Muito bem que colocastes entre aspas, pois na realidade ela não é totalmente falsa. Geralmente é uma verdadeira Classe III, discreta, que se apresenta agravada, com maior discrepância entre as arcadas dentárias, por Desvio Funcional da Mandíbula  (DFM)  para frente. Há realmente uma relação DENTÁRIA de Classe III discreta, com incisivos em topo-a-topo. Buscando uma posição mais cômoda, a mandíbula é projetada para frente (D.F.M. póstero-anterior ). (Semelhante ao que ocorre com os freqüentes DFM para lateral). Desta forma,  o problema apresenta-se   bem mais grave do que realmente é, com molares em Classe III e articulação invertida anterior. Geralmente são casos fáceis de serem tratados, basta levar os incisivos superiores um (1) milímetro para frente e a mandíbula toma o seu lugar na Cavidade Glenóide, não mais ocorrerá o DFM e a "mordida" deixa de ser uma articulação invertida anterior. Naturalmente que, depois disto, será necessário corrigir outros problemas que se apresentem, que podem não ser tão fáceis...  Porém, este resultado espetacular já é uma grande vitória.
Entende-se então porque colocar entre aspas, ela não é totalmente falsa. Falsa é a gravidade com se apresenta.
É oportuno ressaltar que a classificação de Angle é simplista e insatisfatória, quando é analisada a totalidade da face, a luz da cefalometria. Entretanto, muitos de nós, os ortodontistas, continuamos a usar esta classificação justamente porque as outras, são demais complexas e confusas. Na realidade, cada paciente é diferente do outro e é impossível classificá-los, como fazemos com as coisas.
A Classe III de Angle, igual que a Classe I, e II, referem-se exclusivamente a relações dentárias, ignorando as relações esqueléticas. Muitos autores, quando referem-se a relações dentárias exclusivamente, com propriedade, escrevem:  Classe III (Angle), ressaltando que se está referindo a dentes, como fazia Angle. As relações esqueléticas,  geralmente combinações de variadas situações, são referidas como prognatias, retrognatias, rotações etc. etc.  Alguns autores, a grosso modo, referem-se as discrepâncias esqueléticas, com a mesma designação de Angle, "Classe I, II e II", colocando então entre aspas, para caracterizar que não é a classificação de Angle. E,  neste caso, não colocam o Angle entre parênteses, como se deve fazer ao referir-se ao aspecto exclusivamente dentário.
Com estas considerações entende-se, uma outra razão,  porque "Falsa Classe III" deve ser colocada entre aspas, pois realmente ela não é falsa, é verdadeira por ser exclusivamente dentária.  Quando é esquelética, havendo discrepância entre maxila e mandíbula, seja por micrognatia da maxila, macrognatia da mandíbula, ou combinação de ambas, não é Classe III de Angle e sim, impropriamente designada de "Classe III".
Concluindo: deve-se continuar usando a consagrada terminologia "Falsa Classe III", ou "Pseudo ClasseIII".  Porém, a colocação entre aspas é necessária como corretamente foi feita no questionamento.
É imprescindível porém que se entenda esta denominação, como uma maneira simplista de nomear uma situação complexa.
Esclareço ainda, por ser muito oportuno, que os Serviços de Documentação Ortodôntica (*) ( por razões com as quais concordo), tomam as telerradiografias em Posição de Máxima Intercuspidação (PMI), o que na "Falsa Classe III", mostra a mandíbula protruída funcionalmente -  com seus Côndilos avançados nas Cavidades Glenóides - e, consequentemente, protocólos falsos. Certamente haverá um ANB negativo irreal ou maior do que o real.
A verdadeira posição da mandíbula deverá ser avaliada pela observação clínica e está transferida para o diagrama cefalométrico (**) (***) (****).
Qualquer dúvida, por favor, não hesites em me contatar.
Atenciosamente
Cléber

        
"Flasa Classe III" . Em Relação Cêntrica os Incisivos estão em topo-a-topo. Por acomodação a paciente protrui a mandíbula para uma posição de acomodação ( Posição de Máxima Intercuspidação ).
 
 

        
 
 
 

          
 
 
 
 
 

(*) http://www.cleber.com.br/recoloc.html
(**) http://www.cleber.com.br/posicao2.html
(***) http://www.cleber.com.br/visualiza.html
 


                 "Falsa Classe III"     

            Plasticidade alveolar - Estudo no Burlington   
 

            Plasticidade Alveoral - Crânios de Sambaquis

                             Relação Cêntrica (RC) - Oclusão Cêntrica (ROC) - Máxima Intercuspidação Habitual (MIH)