Edgar, meu querido irmão, eras um príncipe, generoso, sábio, bondoso e amado por todos que te rodeavam. Como um príncipe vivestes e como um príncipe morrestes. Foi tão rápido que a todos nós tomou de espanto.
Que Deus te abrigue junto com nossos queridos pais, a quem tanto amastes.
 






Uruguaiana (RS)  25 abril,  2000.
 

Querido Dado:
Pela vida,  vimos perdendo pedaços de nós a cada despedida.  Agora sofremos uma imensurável perda que se fará sentir para o resto de nossos tempos.
Com o passar das horas, mais entramos na realidade. E mais difícil se torna suportar a ausência
do Edgar.
Com amor do

Cléber






(*) Tio Edgar:

Teu silêncio será sempre para nós, teus sobrinhos, doloroso e ensurdecedor.  Com certeza, ainda não podemos avaliar o vazio que tua ausência deixará em cada uma de nossas casas.
Em nossos encontros, eras sempre o esperado.  Tua conversa inteligente, espontânea, colorida, vivaz, polêmica, plena de informações e conhecimentos, nos encantava,  divertia, esclarecia.
Nos bons momentos, sempre que possível, fazias parte.  Apoiando, incentivando e saboreando o prazer da família.  Nos difíceis; eras imprescindível, e te fazias presente de qualquer maneira;  tranqüilo, sensato, sensível, carinhoso.   As vezes até o silêncio bastava, pois estavas ali.
Nos ensinastes a honrar trabalho, respeito, dignidade, autenticidade, caráter, amor, família, perdão.
Com teus grandes laços de amizades, ensinastes como é bom valorizar e cuidar dos amigos;
pois eles podem ser outra verdadeira família.
Também aprendemos que o amor pode ser dividido, sub-dividido igualmente e infinitamente, pois sempre conseguistes fazer com que cada um de nós se sentisse especial para ti; quando na verdade o especial sempre fostes tu.
Mostrastes que a vida deve ser desfrutada intensamente com elã, força, garra;  e que, ao longo dela fazemos opções, traçamos diferentes caminhos e a sabedoria é simplesmente encará-los com responsabilidade.
Por isto tio, nos ajuda a recordar como enfrentastes sereno e lúcido  tua passagem, dizendo o quanto fostes privilegiado na vida,  para que só assim pudéssemos acalmar nossos corações para tão rápida despedida.
Pedimos à Deus coragem para enfrentar tua ausência, resignação para aceitá-la e força para suporta-la.
Deus te ilumine e guarde com todo o nosso amor.

Ana Lúcia Pereira Brandi
(*)  Lido na Missa de Sétimo Dia do Edgar, com corpo presente, na Igreja do Carmo, dia 29 de maio 2000.





Dr. Edgar Bidegain Pereira  (*)

A morte sempre nos surpreende, principalmente quando corta de maneira violenta o circuito de uma vida intensa e gloriosa.
Dr. Edgar Bidegain Pereira, o eminente advogado, brilhante intelectual e imbatível defensor de tantas causas deixou de existir, motivado por galopante e rápida enfermidade. Plenamente partiu da dimensão deste mundo temporal e, atingiu aquela outra paragem, lá das estrelas, onde a paz é tão grande e o descanso tão completo. Foi ao encontro da morte, sem medo ou sinistros receios que a maioria provoca, mas a ela enfrentou como a "Dama da Aurora" para aqueles que tem a dignidade e a tranqüilidade dos fortes, a serenidade dos bravos nas lutas da vida.
Morreu o defensor do direito e da justiça, como veio e conquistou tão brilhante carreira, soube ir  tranqüilo ao encontro da eternidade, quem de fato gostava de viver, amava profundamente e intensamente todos os dias de sua vida. Aceitou a ordem do alto, sem reclamações ou queixas. E assim como soube tão bem viver, soube também morrer.
Ganhador das mais diferentes e difíceis causas de sua vida de advogado, ninguém como ele, sabia tão bem onde estava o direito e a justiça, e ia busca-los com denodo imbatível à vitória plena e definitiva de seus mais variados constituintes.
Falava brilhantemente, sua palavra fluía espontânea, bela e grandiosa, quer num dialogo simples quer em discursos, conferências, saudações, em seus processos, em seus trabalhos jurídicos. Eminente jurisconsulto, interpretava o direito com sabedoria invejável, graças ao seu talento profundo e natural. Seus trabalhos, seus escritos, sua ações, podem fazer parte de um dos mais importantes acervos de pesquisas jurídicas, onde estudiosos do Direito e advogados encontrarão acórdãos e soluções dos casos mais delicados e das causas mais difíceis.
Viajou por quase todo o mundo e se tornou íntimo de museus, catedrais, monumentos e lugares lindos e com sua alta sensibilidade os descrevia como verdadeiras fotos, cartões-postais de sua admiração pela beleza e pela arte.
Sei que seu corpo por sua vontade expressa foi reduzido a cinzas, onde espalhadas e soltas aos ventos desta Uruguaiana, sua terra natal, caindo ao pé das árvores e das flores se transformará no nume de energias de vitalidade e vida !
Dos que privaram de seus diálogos, todos saíram sempre mais enriquecidos; dos que souberam amá-lo ficará em cada coração a lágrima e a saudade, de todos enfim, que o conheceram, a reverência mais sincera e o preito da mais justa e profunda admiração.

Clóvis Pinto da Silva
Professor e Advogado.

(*)  Publicado nos Jornais da Cidade e divulgado nas rádios locais.

Querido Cléber,
Hoje é Sexta Feira Santa para os Cristãos.  Ontem foi a festa de PASSOVER
para os Judeus.  Qualquer seja nossa fé, a metáfora de um Deus que se fez
criatura, morreu e ressuscitou para salvar suas criaturas, é uma das mais poderosas imagens jamais concebida pela humanidade.  O criador da VIDA, PASSED-OVER sua divindade para entregar VIDA NOVA e IMORTAL a suas criaturas.
Gostaria viajar contigo até Porto Alegre e estar perto de Edgar durante o seu PASS-OVER.  A vita é um continuo PASS-OVER da infância à adolescência, da juventude a maturidade, da enfermidade a MORTE.  A MORTE é o último  PASS-OVER.  Ninguém tem certeza do que nos espera na OUTRA DIMENSÃO, mas bilhões de pessoas acreditam que ALGO totalmente NOVO e entusiasmante nos espera ao fim de nossa viajem terrena.  Chame-o paraíso, reino de Deus, vida eterna... não importa o nome, a realidade/virtualidade é a mesma.  Edgar está completando a sua viajem.  E muito importante que você esteja perto dele, pegue sua mão e lhe diga que todos vcs. o amam, que em Riverside, CA, Prospect, PA, Lisboa, PORTUGAL, há gente que o ama.  Que não tenha medo do último PASS-OVER.  Um Deus amoroso e bondoso fechará seus olhos e o acompanhara por imensas pradarias sobre um cavalo manso como fazia seu pai quando era guri...
Rezo para Edgar, Hilde e vocês todos.
Abraços João. (*)

(*)  Padre João Batista Safirio - Ordem da Consolata - Dedicou sua vida a cuidar dos índios Yanomamis,
conheceu o Edgar em suas duas visitas a Uruguaiana
 








Queridos Pai e Mãe:
Posso dimensionar a dor de vocês: sei o quanto o tio Edgar é importante para vocês assim como para todos nós que o conhecemos...   Ele era mesmo um príncipe, concordo contigo, pai. E era um
príncipe não-arrogante, não-autoritário: ele encarnou a face boa do Príncipe! Ele era espirituoso, nobre, gentil e muito, muito humano!
Agradeço à Deus que eu e Gabi pudemos ir a casa dele conhecer o "cantinho" dele neste verão: de outras vezes tentei ir lá e não consegui. Na ocasião ele deu p/ Gabi um punhalzinho de abrir cartas chinês porque Gabi se encantou com a "arminha"... Na minha última conversa com o tio ele me disse que o Gabi era "um anjo"! E também falou do João Samuel, da Luluca. Todos nós vamos sentir muito a falta dele,
realmente. Este é um lado muito duro da vida, o da morte... que nos separa. E a partida do tio veio tão rápida que não deu tempo para ninguém se preparar p/ ela. Talvez só ele tenha tido o tempo de se
preparar já que como vocês me contam ele estava tranqüilo, aceitando com dignidade os acontecimentos que pegaram a todos nós de supetão...
Só imagino a tua dor, paizinho! e a tua, mãe! Rezo para que vocês consigam ficar em paz! Eu gostaria de ter podido ir aí para abraçar vocês...  A distância é tão grande e acabamos decidindo que seria melhor
deixarmos para nos ver noutra oportunidade.  Não sei se decidimos certo, mas agora está feito e mesmo eu estando longe de vocês fisicamente eu estou perto, de alguma forma... Vocês devem agora se apoiar mais do que nunca e serem amigos, solidários um do outro pois por mais que eu como filha - e minhas irmãs - possa querer ajudar, vocês precisam é um do outro para se consolarem, pelo menos é assim que eu vejo. Não se esqueçam que vocês tem um ao outro ainda e que tem as filhas, os netos, os amigos que amam muito vocês também. Envio um abraço bem cheio de amor para vocês, meus queridos!

Maria Cristina
 





      Fragmentos de um poema, que Edgar gostava muito, e que pediu a autora para que lhe
      repetisse no último telefonema.
      LUZ E SOMBRA  de Marina Fagundes Coelho

        Nem hoje, nem nunca
        tenham pena de mim.
        O caminho da dor trilhei;
        é o mesmo do amor que escolhi.
        Só assim, se é feliz.
 
 





Uruguaiana, 30 de abril de 2000.

Ao ilustre amigo Cléber Bidegain Pereira

Fui um grande amigo do inesquecível Edgar Bidegain Pereira, seu irmão. Não só o admirava, como assim, o tratava e o queria como um grande amigo, como um grande Cidadão. Soube também, quase agora, através de terceiros, que ele estava doente. A missa em Uruguaiana não pude ir, porque estava doente, de cama. E se assim não estivesse, não iria também. Não teria forças para suportar o Réquiem, não teria forças para abraçar todos vocês, em homenagem a ele, de quem guardo as maiores gentilezas e os gestos, os mais grandiosos possíveis. E creio por ultimo, que Edgar Bidegain Pereira, não morreu. Ainda está e continua vivo, porque as criaturas como ele, jamais desaparecem deste mundo em que vivemos. Continuam vivos, e quem sabe, talvez, entre as forquilhas, entre os galhos de uma frondosa arvore - observando,... olhando o mundo como ele o é...   Bom - mau. Enfim, como mundo.

Abraços para todos vocês.
 

Hesnard Cunha (*)



NOTA:  Para aqueles de outras terras, saibam que o Dr. Hesnard é uma das grandes personalidades de Uruguaiana: médico, sábio, bondoso e caridoso. Mais deu do que recebeu desta cidade, que adotou como sua.
 



 
 

NOTA DE AGRADECIMENTO AO DR. CARLOS GROSSMAN

Quatro irmãos, que atravessaram mais de meio século, unidos pela força de laços de amor, que não se partem nem com a morte.
Edgar, Cléber, Élder e Dirceu.
Por justiça e gratidão, dão testemunho. Não só ao Doutor Grossman, extremado no seu trato e ciência, muito além do juramento hipocrático no conviver entre médico-paciente. Dão testemunho do seu exemplo de carinho e afeto, que deve ser dado aos que se vão. Abnegação que deve ser o farol de todos os seus congêneres, discípulos e humanos. Unem-se sobrinhos, sobrinhas, sobrinhas-netas e toda a família, em nossa louvação.

Família de Edgar Bidegain Pereira (*)
 

(*)  Escrito por Elder Bidegain Pereira. No original referia-se a 3 irmãos. Eu sugeri que incluisse o quarto, Dirceu, nosso querido irmão de coração, o que Elder aceitou de bom grado.


PUBLICADO NO DIÁRIO DA FRONTEIRA - 23 DE ABRIL, 2000


Tunico Faguntes  (*)
Edgar Bidegain Pereira

Nada é mais difícil do que em simples palavras escritas tentar traduzir uma pessoa, por mais simples ou aparentemente insignificante que posse ser, tem uma história própria, uma "lenda pessoal" muito rica e sempre muito particular.

Nós, somos o fruto de nós mesmos, nossa vida sempre é o resultado dos atos que pela vida praticamos, somos através deles considerados mais ou menos, por isso mesmo não podemos nos queixar afinal, somos senhores de nossa própria vontade, a liberdade que Deus nos deu é o dom mais precioso que temos.

Quem teve a sorte de conhecer o Edgar, sabe porque fiz todo esse preâmbulo, quero hoje escrever sobre essa pessoa muito especial que ele foi. Dizem os filósofos que o ser humano e único e irrepetível, com certeza ele era um indivíduo impossível de "clonar" pois tinha uma personalidade tão marcante, forte mesmo, que a ninguém passava desapercebido. De alma nobre, gestos largos e generosos foi um homem extremamente elegante e educado, nem por isso deixava de ser opiniático e muitas vezes contundente, alguns, que Não o conheciam bem, o achavam agressivo, nada disto, era apenas um mecanismo de defesa de quem nem sempre foi bem compreendido.

Advogado brilhante, amante de boa leitura, boa musica, conhecedor como poucos da maioria dos endereços do mundo ele era no bom sentido um "bon vivant" esse dom exclusivo dos que sabem ganhar dinheiro e bem gastá-lo, sem apegar-se, sem espalhafato. O "Baga" soube sempre compartilhar as coisas boas que possui. Ao chegar de uma viagem, a primeira coisa que fazia era tentar "passar" aos que lhe eram caro a ultima experiência numa verdadeira tentativa de nos transportar as belezas que havia visto.

No amanhecer da Páscoa partiu meu amigo, levando consigo sentimentos, carinho de muitos amigos e sobretudo, muita afeição. Vamos sentir muitas saudades, disso não tenho dúvidas, mas tenho ao mesmo tempo a certeza, que ai em cima estarás junto com tua mãe, teu pai e outros tantos que já foram, preparando com o carinho que te é peculiar a festa de chegada de cada um de nós e até quem sabe uma excurso cheia de lugares muito bonitos, afinal tu sabes fazer isso como ninguém e lugares fantásticos ai não devem faltar.

Até outro dia Edgar...  !
 

* Presidente do Sindicato e Associação Rural de Uruguaiana

PUBLICADO NO DIÁRIO DA FRONTEIRA - 23 DE ABRIL, 2000



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Causou profunda consternação o falecimento do Dr. Edgar Bidegain Pereira, brilhante advogado, pertencia a tradicional família de nossa cidade. Tratava 
as pessoas com distinção e fineza, sabia ser amigo como ninguém, generoso, ajudava a diversas pessoas, tudo sem fazer alarde.
Como todos que com ele conviveram, foi com tristeza que recebemos a 
notícia do seu falecimento.
Era padrinho do meu neto Diego, como ele era uma pessoa especial, 
extraordinária, foi batizar o afilhado na longínqua cidade de Colonia 
Sarmiento, em Baía Blanca, ao sul da Argentina, demonstrando sua grande afetividade. Ha poucos dias, por ocasião do meu aniversario, em março, 
enviou-me um imenso ramalhete de rosas, com um cartão especial onde, 
entre outras palavras, finalizou dizendo que me admirava por eu "nunca ter 
perdido o respeito próprio e a dignidade, que não se compra com dinheiro". 
Fiquei emocionada, mesmo doente, procurava dar animo e alegria as 
pessoas que ele estimava.
São muitas as coisas que se poderia dizer de Edgar, com uma vivência 
invejável, intelectual, respeitado, com grandes conhecimentos, adquiridos 
através das muitas viagens que realizou ao exterior.
Só posso dizer, nesta singela homenagem póstuma, que Edgar era uma 
pessoa admirável, que sintetiza tudo o que merece ser dito: "As almas belas 
são as únicas que sabem o que há de grande na bondade e generosidade".
Obrigada, Edgar, pela tua amizade, pelo incentivo e amparo que sempre me dispensastes.
"Recebe de Deus paz e o seu amor eterno".
Vais continuar vivo em nossos corações,  seja onde estiveres, meu de 
sempre !

Zeny Calvelo
 


 
Publicado no ABC DOMINGO - 30 de abril, 2000

E Agora?

Edgar Bidegain Pereira foi das pessoas mais civilizadas e de mais 
estilo que conheci. Um homem que soube conduzir sua vida com 
elegância e dignidade e que - surpresa minha! - descobriu como 
orientar a própria morte. Deixando tudo de lado, que nada mais 
importa, éramos irmãos por escolha, por opção. Vou precisar de
seu estimulo, de sua orientação, para continuar prosseguindo meu 
caminho. De minha parte esta sendo quase que impossível, mas 
acho que ele me fará descobrir a trilha exata que deverei percorrer. 
Acho não, estou seguro desta descoberta: ele nunca me falhou.

Roberto Gigante
 


 
 

   Publicado no ABC DOMINGO - 30 de abril, 2000

   NOTA DEZ
   Para Edgar Pereira, que soube aproveitar esta vida como poucos. 
   Partiu, deixando muitos amigos e uma grande saudade.

                       Livia Chaves Barcelos
 


 




Paris, 02 de maio, 2000  (*)

QUERIDO NAOR:

Somente hoje pela manhã  recebi esta noticia tão triste.
Estou super chocada.... a duas semana que pensávamos em ligar para o Edgar para dar a notícia de minha gravidez... Ele teria vibrado....
Nós nos amávamos muito.  Ele foi um pai, um irmão um grande amigo para mim. Passamos os melhores e os mais difíceis momentos juntos em Portugal. Tenho guardado em minha memória e no meu coração os momentos inesquecíveis que passamos juntos.
Eu imagino como deve estar sendo duro para vocês também.
Ele tinha uma paixão por ti e pelo Eduardo indescritível.  Vivíamos comprando presentes para vocês nas viagens fantásticas que fizemos juntos.
Eu estou muito triste e sofrendo muito Naor. Tu não sabe o quanto ele era importante para mim.
Eu queria ter podido esta aí com vocês neste momento difícil,  mas a vida sempre nos prepara surpresas e muitas são desagradáveis.
Eu gostaria que tu transmitisses os meus sentimentos a toda tua família que ele nunca se cansou de falar com tanto amor e carinho.
Quando tiveres tempo e a cabeça tranqüila me manda notícias, por favor eu gostaria tanto de ter estado ao lado dele nestes últimos tempos.
Bem meu querido vou parar por aqui pois o único consolo neste momento é saber que ele está ao lado de outras pessoa que eu amava tanto quanto ele.
Um grande e carinhoso abraço.
O José está chocado que não conseguiu se manifestar mas em breve ele te dará notícias.
Mil beijos
Flávia.

(*)   FAX remetido para Naor, de amigos da França

=========
 

Mensagem recebida de Barcelona. Fiquei emocionado porque trata-se do testemundo de um adolescente de então.  2 de agosto 2003

Doctor Cléber,le envió este correo solo para decirle que tuve la fortuna de conocer a su hermano
Edgar durante varios años ya que en sus viajes por Europa solía venir a visitar a mi familia en
Barcelona, siendo yo todavía un adolescente, ahora ya tengo 48 años y todavía lo recuerdo con
gran cariño, no volvimos a saber nada de Edgar desde hace años y nos temíamos que le hubiera
sucedido algo grave.
Hoy día 2 de agosto y dado que mañana salgo de viaje de vacaciones a Natal ha salido la
conversación de Edgar y sus relatos maravillosos sobre Brasil (creo que voy a Brasil en una parte
importante debido al influjo que creo en mi durante la adolescencia) cuando se nos a ocurrido mirar
en esta ventana que es Internet .
Lo primero de todo decirle que toda mi familia  siente de corazón una perdida tan querida y decirle
que tanto mi esposa como yo mismo, confirmamos todo lo que en esta pagina de Internet se
expone.
Un saludo afectuoso de una familia que tuvo la ocasión de conocer a su querido hermano y darle a
usted las gracias por darnos la ocasión de haberlo podido recordar con esas fotografías en la que
se puede ver simplemente a un hombre bueno.
 
Antonio Martinez Romeral
 

===================================



 

 Europa - Viagem de 1992

Queridos Ruivos
Que bom que era quando 
agente tinha...   50 ? ...
Beijos, com todo o 
amor do

Edgar

Munchen, novembro 1992
------------------------------

Dedicatória de 
abril 2000 




NOTA:  Timidamente, recolhi algumas coisas nesta página.  Fiquei maravilhado com as respostas recebidas ao pouco que fiz. Ocorre que o mérito é do Edgar e seus amigos.


Um relato sobre a doença de nosso querida mãe