Assunto: Discurso de Posse como Membro Titular na Seção de Odontologia da Academia Nacional de Farmácia.

Excelentíssimos Acadêmicos, Senhores e Senhoras, Presidente da Academia Nacional de Farmácia Professor Caio Romero Cavalcanti, Autoridades Civis e Militares.

Acadêmico Professor Geraldo Halfeld, Professor Titular da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora, a pedra angular do Curso de Odontologia, durante 40 anos. Onde lecionou, na Cadeira de Clínica.
 
Sentido-me gratificada por ter sido o Prof. Geraldo Halfeld designado como o Presidente da Comissão para análise dos meus títulos, com grande alegria no coração, tomarei posse desta egrégia Academia, como Membro Titular ocupando a Cadeira de número 96 da Seção de Odontologia, cujo Patrono é o Acadêmico Augusto Coelho e Souza, sendo o seu ocupante anterior, o Acadêmico Charley  Fayal de Lyra.
O tema por mim apresentado, “Relato de Caso Clínico de Mordida Cruzada  Posterior Bucal”, mereceu aprovação dos Acadêmicos participantes  e Diretores desta Entidade.
Nosso Patrono é o Professor Augusto Coelho e Souza, natural do Rio de Janeiro, nascido em 02 de Julho de 1863. Aos 12 anos,  acompanhando seus pais, foi para Lisboa, onde continuou seus estudos até os 19 anos, colhendo elementos valiosos para sua formação.
Seu pai, o comerciante português Antonio Coelho e Souza, queria que fosse médico, mas seu desejo era o de ser Professor, profissão, segundo seu genitor, “sem futuro” e, assim, ele foi mandado de volta para o Brasil, para tentar a vida.
Depois de dar aulas em diversos estabelecimentos de ensino, tornou-se Professor pela Escola Normal de Niterói, Rio de Janeiro, em 1889.
Na terceira década de vida, com o falecimento de seu progenitor, fez-se droguista e fracassou nos negócios.
Viajando para Friburgo, em 1894, conheceu um dentista prático de nome Brandão, despertando seu interesse pela profissão. A partir daí, chegando ao Rio de Janeiro, aprofundou-se na Ciência de Pierre Fauchard.
O ensino Odontológico em 1884 era, na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, sob influência francesa e norte-americana.
Teve como Mestre o dentista Clínico Jeolás e foi discípulo do Dr. Coachman, renomado dentista norte-americano.
Sócio-fundador do Instituto dos Cirurgiões Dentistas, em 1889, e um dos precursores das nossas associações de classe, foi redator da revista da Agremiação.
Já no desempenho da profissão de dentista, assediado pelos colegas, em fins do século XIX, foi chamado para o magistério, se tornando Professor de Cirurgia e Prótese Dentária.  Grande conhecedor de anatomia, histologia e fisiologia, observou a neurofisiologia do aparelho estomatognático, estudou os articuladores semi-ajustáveis e colheu subsídios para tratar das disfunções, acabando, desta forma, com os arcos reflexos patológicos, para uma melhor adaptabilidade das próteses em geral.
Sentindo a necessidade dos colegas, publicou seu livro sobre Odontologia, difundindo o ensino da profissão.
Em 1904, regularizou sua situação, como dentista, inscrevendo-se no Curso de Odontologia da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, tendo concluído os estudos em 1905. Registrou o diploma na Saúde Pública, em 1910.
Sua maior contribuição foi o Manual Odontológico, que já atingiu a nona edição e serviu para instruir os colegas no que era necessário e útil ao exercício da profissão;  podemos dizer que a atual geração de dentistas brasileiros formou-se a partir dos seus ensinamentos.
Conseguiu melhorar o nível profissional  em que se encontrava a profissão de dentista, enaltecendo a arte dentária do seu tempo.
Em 1913, foi redator da Revista Dentária Brasileira.
Faleceu em Juiz de Fora, onde viveu e trabalhou, a 15 de Fevereiro de 1949.
Meu predecessor, o Professor Charley Fayal de Lyra, natural do Pará, nascido em 11 de novembro de 1921, foi o único Dentista  que exerceu a elevadíssima função de Magnífico Reitor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, com excelente desempenho, valorizando os profissionais da área de Saúde.
Exerceu os cargos de Presidente da Academia Brasileira de Odontologia e do Conselho Regional de Odontologia do Rio de Janeiro, foi Diretor da UERJ e da UFRJ e meu querido Mestre na cadeira de Técnica Odontológica, com quem ampliei meus conhecimentos, em 1957;  faleceu em 03 de Agosto de 2000, no Rio de Janeiro.
 Na Evolução da Odontologia, a nova visão possibilitará aos Odontólogos enfatizando a prevenção e aliada ao avanço notável na qualidade dos materiais e medicamentos de uso odontológico, possibilitará a tão almejada erradicação da cárie,  visto  que é observada uma grande melhora na saúde bucal da população, comparada com índices anteriores.
A Medicina e a Odontologia utilizam, após minuciosa anamnese, o grande Arsenal Farmacêutico para a prevenção de possíveis  incidentes de ordem clínica.
Atualmente, apesar do número de Faculdades e do aumento de profissionais na área de Odontologia, que atingiu  expressiva cifra de 167.000 dentistas, o mercado de trabalho não apresenta grandes opções.
 A qualidade de ensino de algumas faculdades necessita de uma revisão,  para que possamos ter  um  desempenho  profissional melhor, com adequada remuneração, inclusive em alguns planos de saúde.
A luta do Prof. Augusto Coelho e Souza, conhecido como o Pai da Odontologia Brasileira, deverá ser continuada e estimulada por nós, científica e socialmente.
Segundo Dèscartes “UMA REFLEXÃO NÃO DESCOBRE TODAVIA UM OBJETO ENTRE OS RESTANTES OBJETOS MAS, UMA DIMENSÃO CONFERIDA A TODOS OS OBJETOS”.
PRECE: Rogamos a Deus  que possamos ter força para mantermos um nível profissional elevado e que todos acompanhem a Evolução da nossa Ciência.
Para tanto, necessitamos, como Acadêmicos, nos manter unidos, ajudando na orientação das Universidades e na obtenção de políticas governamentais apropriadas.
Acadêmica titular da Academia Nacional de Farmácia Elvira Gomes Camardella, inscrita no CRORJ com o nº 1016 – especialista em Ortodontia e Radiologia, Acadêmica titular vitalícia da Academia Brasileira de Fisiopatologia crânio-oro-cervical e Acadêmica titular da Academia Brasileira de Odontologia.
 

                     Posse da Prof. Elvira na Academia Brasileira de Farmacia   

                 Interpretação da Análise de Bimler    

 
                     Caso Clínico da Prof. Elvira