18, 19 e 20 de Abril 2001
Centro de Convenções Rebouças

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 
 

Breve relato de minhas observações nestes meus quase 50 anos de EXTRAÇÕES NÃO EXTAÇÕES.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
Calvin S. Case apresentou “O problema da extração em ortodontia”,  debatido  por  Cryer,  Dewey, Ferris, Buckley, Bowman y Hinman, na Reunião Anual da National Dental Association, em 1911.      Desde  então  aceitam-se as extrações como um recurso terapêutico, imprescindível em muitos casos.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Ouçam,  a época do radicalismo e da generalização passou.Cientificamente está provado e comprovado que não se pode sustentar a posição radical de não extrações. Seria voltar para trás de 1911.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 Desde 1911 até os dias de hoje, diferentes escolas, diferentes grupos têm feito maior ou menos número de casos com extrações e sem extração. Isto vêm variando, segundo os conceitos individuais, no tempo e no espaço.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 
 

 
 

 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
Recolocação de Incisivos - III° Congresso Odontológico Brasileiro. São Paulo, 1965
 PUBLICADO EM OUTUBRO 1966
                                               Versão original 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 APÓS 35 ANOS DE TRATAMENTO

 
 
 
 
 
 
 
 

 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 


 


 
 
 
 
 
 
 
 

 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 


 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 

 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 

 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 


 
 

 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Se um caso como este for corrigido com distalamento estará condenando-se os 
terceiros molares a ficarem em espaço ! SERÁ UM CASO COM EXTRAÇÕES !!! 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 
   Em 1906 Michel Chateau afirmava:  
   "O calculo do perímetro dentário e ósseo  
   deve ser de todos os dentes e de todo o  
   osso basal.
 
Quando os terceiros têm espaço e estão radiograficamente favoráveis, há muito boas probalidade  
de erupcionem normalmente, como qualquer outro dente. Tweed e Merrifield já faziam a nálise 
do espaço total, incluindo os terceiros molares.  Sisos também são dentes !!!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

Caso sem extrações.  A erupção dos terceiros molares pode ocorrer sem problemas  
ou haver necessidade de extração.   PORÉM !!!     O tema foi dialogado com  pais e cliente.  
E ai está um dos pontos chaves da questão,  o quadro apresentado com realidade e honestidade. 
É uma situação muito diferente de quando o profissional ignora os terceiros molares e apregoa 
CASO SEM EXTRAÇÕES ....

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 

Geralmente a arcada superior deve acompanhar a arcada inferior.  Nos casos em que a arcada superior
está atrésica em relação a arcada inferior, deve ser expandida, até cobrir o inferior. Dependendo da idade e da quantidade de expansão necessária, será feita a expansão dento-alveolar, disjunção ou cirurgia ortognata.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Aparenta articulação invertida      Em  Oclusão Cêntrica mostra que 
uni-lateral.                                       é Desvio Funcional da Mandíbula
Atrésica da arcada dentária superior, em relação 
a inferior, aparentemente um articulação 
invertida uni-lateral.  Na realidade há Desvio  Funcional da Mandíbula. Em Relação Cêntrica 
os segmentos laterais estão em topo-a-topo, com interferências de caninos. A arcada superior deve ser expandida. Neste caso é suficiente a expansão dento-alveolar, ou expansão lenta, como é denominada por alguns. 
 
 
 
 

     ANTES E DEPOIS
 
 
 
 
 

                                  Imagens de  Ortodoncia Clínica - Dr. Carlos Alberto Cabrera
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Caso típico em que teriam de ter sido feitas 4 extrações de prémolares.
O caso foi tratado com expansão, com aparelhos móveis, apregoando-se que "hoje não se fazem mais extrações..."
 
 
INICIAL 
Telerradiografia inicial - 08/02/96 
Incisivo inferior em boa posição 
1- NB = 5 mm. 
Discreta protrusão dos Incisivos  
superiores, mau feche labial.

 
 
 
 
 
 
 
 


 
 

INICIAL 
Presença de terceiros molares. 
Severo apinhamento dentário.
Durante 3 anos, foram expandidas as arcadas superior e inferior,  
sentidotransversal e póstero-anterior. Resultados a seguir:
 
Fotografias  - Julho 1999 - Depois de 3 anos de expansão com aparelhos móveis. Severas retrações  
gengivais ( 33, 43 e 41). Ainda faltaria expandir muito para conseguir o espaço necessário ao alinhamento  
total da arcada dentária inferior. se agora os dentes já estão fora de suas bases ósseas, tanto no 
sentido transversal quanto protrusão, como seria se continuasse com a mesma mecânica ?

 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 

Cefalograma atual - Julho 1999  
Os incisivos inferiores foram  
protruídos 4 mm.  
1- NB = 5 mm. Iniciais 
1- NB = 9 mm. Atual

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 

Ao iniciar o tratamento os incisivos inferiores estavam normais, apenas 1 mm. a mais, do que os 4 mm.,  
sugeridos por Steiner. Três anos de expansão e os incisivos inferiores estão com 9 mm.  Foram  
protruídos 4 mm. Foi transformado em uma protrusão incisal que impede o bom feche labial normal e causa 
outros problemas.  1- NB = 5 mm. Iniciais /  1- NB = 9 mm. Atual

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
                 Arcada superior  expandida + 7 mm                         Acada inferior  expandida + 8 mm 
Na arcada inferior houve expansão postero-anterior de 4mm. e  expansão transversal de 8 mm.  
Mesmo assim os dentes ainda estão muito apinhados e não há espaço para os terceiros molares.
 
 
Na arcada inferior houve expansão postero-anterior de 4mm. e  expansão transversal de 8 mm.  
Mesmo assim os dentes ainda estão muito apinhados e não há espaço para os terceiros molares.   
Se fosse conseguido corrigir o apinhamento, os terceiros molares teriam  de ser extraídos.  Portanto o caso seria  de extração. Esta  expansão,  tão  danosa  para  o paciente,  igual  seria um caso de extrações. 

 

 
 
 
 
 

 
 
No meu entendimento, estas são expansões super  
exageradas. Muito além de qualquer limite aceitável,  
contrariando a fisiologia e a estética do paciente.
 
Composição gráfica, exagerada, feita  
no computador, com a intenção  de  
mostrar  que  expandir  demasiado  
contraria  o  biotipo  facial  do paciente 
e é prejudicial a fisiologia e a estética.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 

Quando os caninos não estão evidentemente inclinados  
para  lingual, é uma atitude segura manter a distância  
bicanina  inferior. É a fisiologia do paciente quem  
determina esta  distância, pelo equilíbrio da língua e da musculatura.   
Segundos os conceitos atuais, admite-se com freqüência  
a expansão da distância bi canina. Fica a pergunta e qual  
é o limite ? 
 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 

Os chamados " espaços escuros " têm sido atribuídos, por alguns, 
como arcadas atrésicas que deveriam ser expandidas, para melhorar 
a estética.   Certamente, a expansão com fins estéticos, poderá ser  
favorável em alguns casos. Porém, a regra é justamente ao contrário. 
Indivíduos com a face estreita, tem também a arcada estreita e  
expandir,  provoca efeito estético altamente negativo. 
Expandir com intenção estética é assunto para ser muito bem  
estudado e avaliado.

 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 


 
 

 
 
 
 

                 Entrevista com o Professor Joel