Contenção forever

Uma consulta para o Cyber Ortho Club
22/03/2000

From: "Gilson Braga Barros" <gilson@sbs-net.com.br
To: Cyber Ortho Club <jpfg@embratel.net.br

Prezado Juan:
Aqui estou eu novamente com minhas perguntas.
Gostaria de saber qual tipo de contenção que vocês está usando?
Estive em São Paulo no orto review e o Viazis voltou a falar sobre
"contenção para a vida toda".
Gostaria de saber suas opiniões sobre esta conduta?.
Um grande abraço.
Gilson Barros

-------------------------------------

Resposta de Cléber
24/03/2000

                                                     CONTENÇÃO PARA SEMPRE

Alguns autores têm insistido em recomendar  "contenção para sempre".
O assunto, que é de grande importância,  envolve a estabilidade das correções ortodônticas e deve ser analisado em diferentes aspectos.
Antes, um princípio básico deve ser relembrado.  Dentes em má oclusão estão em equilíbrio com suas  bases ósseas,  músculos e dinâmica. É um equilíbrio precário e instável,  mas é  uma situação de equilíbrio. Ao modificarmos as posições dos dentes, tratando de alinhar e melhor relacionar as arcadas dentárias, os dentes devem ser levados para outra posição, também,  de equilíbrio, a fim de que o caso seja estável, dentro do relativo das coisas dinâmicas.  Uma boa referência é manter a distância
bi-canina inferior,  a qual,  na maioria dos casos é estável, determinada pela língua, musculatura e osso mandibular.  Recomendar  "contenção para sempre" é confessar que,  deliberada e conscientemente não se respeitou este princípio básico. É confessar que os dentes, propositadamente, foram movidos para posições de desequilíbrio com a fisiologia e morfologia do paciente.
Analisamos aqui alguns aspetos da  estabilidade das correções ortodônticas:
1 - Casos em que, com a intenção de ganhar espaço para alinhar dentes,   as arcadas dentárias inferior e superior são expandidas, muito além dos limites de suas bases ósseas e do seu biótipo, levando os dentes para posições de desequilíbrio esquelético, muscular e funcional,  isto é feito com plena consciência da instabilidade e desequilíbrio das novas posições, então a contenção "forever" é recomendada.  Os fabricantes desta aberração sabem que haverá reincidência certa, e que esta fictícia largura deve ser mantida artificialmente com contenção, para que não ocorra imediata reincidência. Geralmente este procedimento é apregoado como conservador, que realiza tratamentos sem extrações...  O que, em muitos casos é uma falácia, porque havendo terceiros molares quase certamente estes deverão ser mais tarde extraídos ou ficarão impactados.
2 - Outra situação, é a instabilidade imponderável da posição dos dentes, fruto da dinâmica e do tempo. Obturações, incrustações, próteses, doença periodontal, acontecimentos que ocorrem no transcorrer da vida, alteram aquela posição de equilíbrio conseguida no final do tratamento. É aconselhável que, anualmente, os casos tratados ortodonticamente sejam  revisados e novamente equilibrados, com pequenos desgastes, caso surjam pontos de  toque prematuro. É primordial evitar estas pequenas interferências que exacerbam e estimulam o bruxismo (*).
3 - Casos de adultos com problemas periodontais e diastemas crescentes, necessitam fechar os diastemas e colocar contenção para sempre.
4 -  Retratamentos, depois de 25 anos, deveriam ser encarados com mais naturalidade. Nada resiste a inclemência do passar dos anos que deixa sempre suas  marcas...



(*) Recentemente, em colóquio pessoal,  disse-me  o Prof. Alexander Jacobson, de Birminghan, os pacientes ortodônticos, bem equilibrados no final de tratamento, deveriam vir a nossa consulta antes e não depois que ocorrem pequenos movimentos.
O Prof. Jacbson não concorda com  expansões com intenção de ganhar espaço.

                                Manifeste sua opinião a respeito  


                                 Workshop sobre Expansões e Distalamentos  

                                   Expansões     

                                   Ruga da boca - Manifestação do Prof. Capelozza   
 

                                   EXTRAÇÕES NÃO EXTRAÇÕES ( conferência Buenos Aires ) 

                                   Extrações Não Extrações em Ortodontia  

                                  Casos clínicos de expansões indevidas    
 
                                  V Simpósio de Informática na Ortodontia e Ortopedia Facial