Estas paginas brancas brancas como véu que agasalha e esconde o DEUS que nos criou, carrega também, em seu conteúdo, a imagem da sua grande e eterna
companheira HILDE.
São Paulo Abril, 2003.

Querido amigo e marcante companheiro
CLÉBER,

Desde longo tempo e espaço que venho tentando esta mensagem, contudo as coisas da vida foram passando...passando...e somente agora faço  - a chegar.
Leva em seu bojo meus profundos pensamentos "memoria " , saídos de meus neurônios aguçados, inicialmente refletindo que sempre somos jovens, porque "jovem é aquele que não perdeu o ideal" e, depois porque nascemos com o Dom e o privilegio de carregar em nossas existências a jovialidade associativa , cientifica e social da nossa sofrida Odontologia.
Muitos não transportam este horizonte , mas nós sim, razão sem duvida e contestação das excelentes edificações que trouxemos ao mundo, que poderiam ter sido muito mais amplas, todavia somos pequenos demais diante do ser supremo.
Que bom termos nos conhecido na encantadora, bela e inesquecível Buenos Aires, nos idos do evento da ciência e arte de Angle, que teve como palco o magnifico Hotel Continental. Buenos Aires que representava o celeiro das Américas em todos os quadrantes da sociedade humana.
Lembra-se ?
Éramos jovens e no, aconchego da jovialidade nasceu a amizade eterna, segura, sadia a respeitosa dos casais Jairo / Eunice e Cléber / Hilde. Muitos não desejavam o acontecimento (inveja, ciúmes ?) todavia as coisas boas avançaram no seqüencial da existência, quando "largos rios foram cruzados, altas montanhas foram alcançadas e vales profundos atingidos".
Nada, nada mesmo conseguiu destrui-la porque foram muitos anos de convivência, respeito, reconhecimento e altivez.
Creio firmemente que os episódios que nos uniram ciência, arte, entidades, eventos, familiares e outros trouxeram períodos de paz, alegria, otimismo, bondade e trilhas para trabalhos em beneficio do próximo, o que nos permitiu armazenarmos energias, a fim de vencer os embates da vida que nos cerca.
Não paramos nunca e continuamos trazendo oportunidades de construir o bem,  para que o próprio bem venha abundante para todos os nossos semelhantes.
Na trajetória que você cumpriu ate o momento presente encantou e mostrou suas infindas qualidades profissionais, o que o levou as pesquisas junto aos Yonomanis, passando pelos estudos firmes, pelo ensino honesto - que levou à todos - e pela clinica que permitiu sua situação de realce.
Suas obras são dignas e eternas, como eterno a Deus, e a ciência que não se aposenta nunca.
Espero que eu tenha sido um bom companheiro ao abrir as portas do lastro que comandei na Odontologia.
Foram abertas por que você tinha valores poderosos e altivos e, poderia - como aconteceu - levar utilidades para o cirurgiao-dentista, ávido de novos e modernos conhecimentos.
Sua presença marcante na Sociedade Paulista de Ortodontia e em todos os quadrantes que abraçou não tem paga. Nada neste mundo poderá cobrir suas produções, suas atividades , no fundo comparadas com a historia da aranha - "aranha que arranha e sobe e sobre o nada constrói suaves fios de seda".
Obrigado por tudo amigo CLÉBER. Obrigado extensivo, sem contestação à querida Hilde, companheira fiel, devotada, grande filha, esposa, mãe e avo, com enorme possibilidade de ser bisavó. Já pensou ?
Obrigado CLÉBER.
Obrigado de todos da SPO, que sempre o respeitaram e consideraram " gênio da Odontologia pátria " subindo com sucesso os degraus existentes.
Nada mais, senão de que sua " vida é o Máximo" que um terrestre e mesmo extra-terrestre possa imaginar.
Querido amigo CLÉBER:
"o que importa quando a caminhada chegar ao fim é que eu tenha deixado algo atras de mim e, que minhas mãos não estejam vazias. Assim , enato minha jornada não terá sido em vão "
Sua jornada ano foi em vão. Veja o que você ea marque os pontos de vencedor.
Pela sua excelência, pela sua performance receba as " homenagens de estilo " do grande amigo,

Jairo Corrêa,
Presidente da Sociedade Paulista de Ortodontia