Introdução à Cefalometria
Radiográfica

5ª Edição

Editado pela
Revista Virtual da AcBO

IMAGEM DA CAPA

Composição de corte da hemi-face, de autoria do Dr. Rolf Faltin, apresentada em curso na SOGAOR, em 2009.
Utiliza o Sistema Dolphin Imaging.
Este é um avanço muito significativo para a Cefalometria em 2D, em que os acidentes anatômicos laterais da face apresentam-se únicos, portanto possibilitando sua marcação com total precisão, ao contrário da telerradiografias comuns em que aparecem duplos, dificultando a determinação do lado esquerdo.

Por certo que se busca a avaliação da Tomografia Computadorizada em 3D que oferece a riqueza de avaliação total. Porém, este caminho possibilita a comparação com os estudos tradicionais de Cefalometria em 2D, acumulados desde o início do século passado. Até que tenham mais estudos em 3D este sistema poderá ser válido.



Introduçào à cefalometria radiológica, publicado em
boa hora, é um marco da literatura ortodôntica e
dontológica nacional.

Os autores não mediram esforços e trabalho para
oferecer ao clínico, que trabalha com os jovens
pacientes, e ao próprio especialista um repertório de
conhecimentos básicos, sobre ortodontia preventiva
a interceptiva; proporcionam assim informações
indispensáveis para correta interpretação das análises
cefalométricas; dando tanto ao clínico como ao
especialista a capacidade de entenderem melhor o
diagnóstico ortodôntico nesta pré-fase da ortodontia,
por dados analíticos automatizados.

A literatura odontológica nacional está pois enriquecida
com uma obra extraordinária pelo cabedal de
ensinamentos que transmite a todos nós de forma
ordenada a sistemática. Estão de parabéns os seus
autores.

Eles tiveram a inteligência de condicionar o seu trabalho
à uma visão muito clara dos objetivos que pretendiam
alcançar, a este intento foi plenamente atingido.

De uma forma límpida, precisa a relativamente isenta
dos grilhões dos métodos formais, os autores seguiram
um procedimento filosófico que está tendo uma
poderosa influência nos dias atuais: na indústria -
pelo que se denomina de gerenciamento por objetivos
ou por resultados - e na educação de um modo geral -
pelo estudo do comportamento humano através dos
seus objetivos, assim como a instrução individualizada
estudada com objetivos pragmáticos, etc. Tudo isto é
alcançado quando se inicia qualquer trabalho já tendo
em mente objetivos traçados estrategicamente.

Este escrito não deve ser longo, procedo como os
autores do livro, que souberam seguir muito bem o que
nos diz Goethe: "os ensinamentos que mais nos interessam
não podem ficar misturados com coisas que não nos
interessam tanto".

Newton de Castro


À memória do querido
Raul Otaño Antier.
Partiu, tendo em sua cabeceira
o esboço destes escritos,
onde em sua derradeira noite
fez apontamentos e sugestões.
Com este trabalho
presto-lhe homenagem
de amor e gratidão

Cléber


Cléber Bidegain Pereira
Especialista em Ortodontia
Professor Convidado de varias Universidades e Associações no Brasil e exterior.
Ex pesquisador no Burlington Growth Center - Universidade de Toronto
Ex pesquisador na Universidade Federal de Santa Maria.

Carlos Alberto Mundstock
Especialista em Ortodontia
Mestre em Odontologia
Professor Adjunto de Ortodontia da FO/UFRGS
Coordenador do Curso de Especialização em Ortodontia – FO/UFRGS.
Chefe do Departamento de Cirurgia a Ortopedia da UFRGS

Telmo Bandeira Berethold
Especialista em Ortodontia
Mestre e Doutor em Odontologia
Professor Adjunto de Ortodontia da FO/UFRGS
Professor do Curso de Especialização em Ortodontia - FO/UFRGS
Professor Adjunto da FO/PUCRS
Professor do Curso de Especialização em Ortodontia - FO/PUCRS
Professor do Curso de Mestrado em Odontologia - FO/PUCRS



COLABORADORES, PREFÁCIOS E COMENTÁRIOS

Colaboradores da 1ª Edição - 1984 - Editora da UFRGS

Colaboradores da 4ª Edição - 2010 - Editora da UFRGS

Prefácio 1ª Edição - Prof. Dr. S. Interlandi

Apresentação da 1 .ª Edição - Autores

Comentários Edição em Espanhol - Editorial Mundi - 1987

Prefácio Edição em Espanhol - Prof; Dr. José Carlos Elgoyhen

Apresentação da 2ª Edição - Os Autores - Editora Pancaste - 1989

Apresentação da 3ª Edição - Cléber Bidegain Pereira - Editora Pancaste - 2000

Apresentação da 4ª Edição - Editora da UFRGS - 2010


SINAIS E SIGLAS

Os pontos cefalométricos são representados por siglas.
Alguns, pela primeira letra de sua denominação (Nasion = "N"; Ponto S = "S"; Ponto A = "A"; Ponto "B").
Outros por duas letras geralmente a primeira maiúscula e a segunda minúscula
(Gonion = "Go" Gnation = "Gn" Porion = "Po"; Pogonion = "Pg"). Outros, ainda, por três ou
quatro letras (fissura pterigomaxilar = "Fpm"; Espinha nasal anterior = "Spna").

As siglas de dois pontos cefalométricos separados por um traço (-) representam um segmento
ou uma linha que vai de um dos pontos referidos ao outro (S - N; N - A; N - B).

Quando siglas representativas de duas linhas estão separadas por um ponto (.) é indicativo de
ângulo (S - N . Go - Gn = ângulo formado pelas linhas S - N e Go - Gn. É usual a simplificação
para SN . GoGn).
Quando o ângulo é formado por três pontos cefalométricos usa-se a fórmula simplificada SNA;
SNB; ANB.


Referências Bibliográficas

1. Hall DL; Bollem AM. A comparison of sonically derived and traditional cephalometric values. Angle Orthod;
67(5): 365-72, 1997.

2. Tsang KH; Cooke MS. Comparison of cephalometric analysis using a non-radiographic sonic digitizer
(DigiGraph Workstation) with conventional radiography. Eur J Orthod; 21(1): 1-13, 1999.

3. Doll GM; Zentner A; Krummenauer F; Gärtner H. Reliability and validity of the DigiGraph 100 in orthodontic
diagnosis. J Orofac Orthop; 62(2): 116-32, 2001.

4. Smith JD; Thomas PM; Proffit WR. A comparison of current prediction imaging programs. Am J Orthod
Dentofacial Orthop; 125(5): 527-36, 2004.

5. Gosset CB; Preston CB; Dunford R; Lampasso J. Prediction accuracy of computer-assisted surgical visual
treatment objectives as compared with conventional visual treatment objectives. J Oral Maxillofac Surg; 63(5):
609-17, 2005.

6. Power G; Breckon J; Sherriff M; McDonald F. Dolphin Imaging Software: an analysis of the accuracy of
cephalometric digitization and orthognathic prediction. Int J Oral Maxillofac Surg; 34(6): 619-26, 2005.

7. Maple JR; Vig KW; Beck FM; Larsen PE; Shanker S. A comparison of providers’ and consumers’
perceptions of facial profile attractiveness. Am J Orthod Dentofacial Orthop; 128(6): 690-6, 2005.

8. Santoro M; Jarjora K; Cangialosi TJ. Accuracy of digital and analogue cephalometric measurements
assessed with the sandwich technique. Am J Orthod Dentofacial Orthop; 129(3): 345-51, 2006.


Sumário

HISTÓRICO
  • Histórico da Cefalometria
  • Histórico da Cefalometria Computadorizada
INTRODUÇÃO
  • Conceito
  • Importância
  • Cefalogramas
  • Análises Cefalométricas
  • Osso Basal, Osso Alveolar e Dentes
  • Nomenclatura
  • Classificação de Angle
  • Representações Esquemáticas das Relações Dentofaciais
TÉCNICAS RADIOGRÁFICAS CEFALOMÉTRICAS
  • Noções da Técnica Radiográfica
  • Sumário: disposições de Aparelhos e Pacientes
  • Requisitos de Telerradiografia em Normal Lateral
  • Posição da cabeça nas técnicas cefalométricas radiográficas
  • Posição da mandíbula nas técnicas cefalométricas radiográficas
TÉCNICA DO TRAÇADO CEFALOMÉTRICO
  • Desenho Anatômico
  • Acidentes Anatômicos Sagitais
  • Acidentes Anatômicos Laterais
  • Lado Esquerdo da Face
PONTOS CRANIOMÉTRICOS

LINHAS E PLANOS

CEFALOGRAMA DE WYLIE
  • Análise póstero-anterior
  • Protocolo de Wylie
  • Análise Vertical
  • Variações das Medidas Padrões
CEFALOGRAMA DE STEINER
  • Medidas Adicionais
  • Protocolo de Steiner
  • Variações das Medidas Padrões
POSIÇÃO IDEAL DOS INCISIVOS
  • Principais Forças que atuam nos Incisivos
  • Cálculo da Discrepância Total
  • Fórmula de Margolis
  • Triângulo de Tweed
  • Recolocação de Incisivos de Steiner
  • Linha "I"
  • Individualização da Posição Ideal dos Incisivos
  • Variações raciais
SOBREPOSIÇÕES CEFALOMÉTRICAS
  • Sobreposição em SN
  • Sobreposição da Maxila e da Mandíbula
  • Sobreposição de Bjork
  • Variações de ANB
TENDÊNCIA DE CRESCIMENTO FACIAL
  • Método Longitudinal de Tweed
INTERPRETAÇÃO ESQUEMÁTICA DAS MALOCLUSÕES
  • Classe I de Angle
  • Classe II de Angle
  • Classe III de Angle
  • Variações nos Tecidos Moles
OUTRAS ANÁLISES (COMENTÁRIOS)
  • Críticas à Análise de Steiner
  • Análise de Jacobson (Comentários)
  • Análise de Ricketts (Comentários)
  • Análise Cefalométrica de Ricketts (Comentários)
CEFALOMETRIA COMPUTADORIZADA
  • Análise Cefalométrica
  • Equipamentos
  • Software
  • Utilização
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA




Seguir para o capítulo I: "Histórico"
© Copyright Cléber Bidegain Pereira. Todos os direitos reservados.