TRANSCRITO DA REVISTA "ORTODONTIA", ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PAULISTA DE ORTODONTIA N. 57 - Jan./Fev./Março, 1999
 
 

                           MERCADO DE TRABALHO
                                SEGUROS DE SAÚDE
 

                                                                                                         Cléber Bidegain Pereira, C.D.

Nos últimos tempos tenho escrito, aqui nesta coluna,  sobre Informática na Ortodontia. Pretendo manter esta linha, pois, que eu saiba, somos  poucos a escrever sobre este tema em nossa especialidade. Alguém tem de fazê-lo.
Porém, novo ano desponta e surgem novos propósitos, novas idéias, perspectivas de novos caminhos.  Vez por outra, pretendo incursionar em outras áreas. E até mesmo um pouco além da  ortodontia, como farei a seguir.
É imperiosa a manifestação sobre o Mercado de Trabalho na Odontologia e os Seguros de Saúde Bucal. O caso é alarmante e melindroso, comprometendo a saúde dos brasileiros.
Pesquisa realizada pelo CFO comprova  que aumenta, ainda mais, o já saturado Mercado de Trabalho Odontológico. As Faculdade de Odontologia Brasileiras formam 10 mil profissionais ao ano, um crescimento três vezes maior do que o de habitantes (*).
Parece ser propósito governamental baixar os preços dos serviços na Odontologia, aumentando, desabridamente, o número de profissionais na área. Ocorre que com isto está diminuindo a qualidade dos serviços a níveis calamitosos.
O obstinado empenho do governo em baixar os preços, que se observa, com outros meios, em outros setores, de serviços e produção, está exterminando a produção interna.  Não nos cabe aqui julgar se vale a pena pagar um preço tão alto para que objetivos, desconhecidos por nós, sejam atingidos. Mas, cabe-nos o dever de tentar salvaguardar a saúde bucal dos brasileiros.
O Sistema Previdenciário, durante anos, arrancou grossa fatia do ganho dos trabalhadores brasileiros, não zelou pelo que recebeu e, ao ter de devolver este dinheiro, o sistema está esvaziado. Para livrar-se do dever de cuidar da saúde bucal dos previdenciários, foi determinado que os Seguros de Saúde incluam a odontologia em seus planos, sem interessarem-se pela qualidade dos serviços, responsabilidade que é transferida para o profissional que realiza o tratamento.
Estas duas circunstâncias, a saturação do Mercado Odontológico e a odontologia incluída nos Seguros de Saúde, são terreno fértil para que, maus empresários, pagando quantias irrisórias para os Odontólogos, tornem alguns Planos de  Saúde desastrosos para os segurados.
As Instituições e Entidades maiores da Odontologia,  com propriedade, têm questionado e lutado em defesa da boa Odontologia, junto ao poder público. Sem dúvida, devem perseverar neste intento, ainda que os resultados imediatos não sejam animadores.
Cabe aos C. Ds e entidades regionais perseguirem outros caminhos. Um deles é transferir, para os leigos, a informação de que bons trabalhos odontológicos têm um custo mínimo, que tem de ser respeitado, sem o qual a qualidade dos serviços não pode alcançar os níveis necessários.
Segundo uma das recomendações do Fórum Mercado de Trabalho, realizado pela SPO, no 11o Congresso Brasileiro de Ortodontia, deverá haver: " melhor orientação do público sobre os cuidados na escolha profissional ou Planos de Saúde ".  Esforços devem ser dirigidos neste sentido, não só usando a mídia e outros meio de comunicação em massa, como a Internet e a comunicação pessoal. Dentro do nosso consultório devemos informar aos pacientes da desumanidade que está acontecendo. Como diz o Dr. Carlos Rodrigues, Presidente da SOGAOR,  quando o paciente entra em nosso consultório não podemos perder esta oportunidade de lhe transmitir informações sobre  a boa ortodontia.
As homepages das Associações Odontológicas devem criar paginas para leigos, como têm as homepages da SPO,  ALADO, SOGAOR e outras.  Da mesma forma, as homepages particulares de Odontólogos, com ética, inteligência e bom senso, podem  oferecer informações esclarecedoras sobre  a  importância da odontologia de boa qualidade.
Deve-se recomendar ao leigo que procure saber quanto a sua Seguradora de Saúde está pagando, para o profissional,  por determinados procedimentos.   Será fácil demonstrar que nenhum Odontólogo pode, por exemplo, realizar uma boa restauração pelo preço vil de R$ 8,00 que lhes pagam algumas das Seguradoras. E uma endodontia multiradicular por pouco mais que isto.
Devemos cerrar fileiras na lista de preços da Comissão Nacional de  Convênios e Credenciamentos (CNCC), divulgada pela ABO-Nacional, buscando argumentos, verdadeiros e  convincentes, de que abaixo destes valores não é possível realizar um bom trabalho odontológico.
Por outro lado, como recomenda o referido Fórum de Mercado de Trabalho, o Cirurgião Dentista deve conscientizar que não pode aceitar preços vis, pois os maus trabalhos resultantes serão de sua responsabilidade nos Tribunais.

--------------------------------------------------------

(*) Conferência do Dr. Eros Petrelli na ABORJ,  notícia no Jornal do CFO - Ano VI - N 25  - Outubro 1998.


      Veja outras informações:

 
          Fórum Mercado de Trabalho 
 

          Seguros de Saúde na Odontologia 

 

        Um grito de Alerta