REFERENTE A PRONUNCIAMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA


 
 
Cléber Bidegain Pereira, C.D.


O Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica torna pública a sua decisão de condenar o uso do computador como meio de demonstrar aos pacientes o resultado de cirurgias a serem realizadas. Não nos cabe julgar a manifestação, nem teríamos competência para isto. No entanto, sinto-me no direito e até mesmo no dever de fazer os esclarecimentos que seguem. Entendo, pela procedência dos manifestantes, que dentro de sua problemática, devem estar certos em sua afirmativa, ainda que no meu entender o problema é de ética e não de métodos ou sistemas. De qualquer maneira, o intuito de meu escrito é para esclarecer que essa manifestação até poderá estar certa para os Cirugiões Plásticos. Porém é inadequada à ortodontia, e à cirurgia ortognata. Se a Visualização Computadorizada da Expectativa de Tratamento não é boa para eles, para nós é ótima. É necessário ressaltar que esta contribuição, dos computadores, é apenas no sentido de facilitar e oferecer maior número de informações para o diagnóstico, planejamento e prognóstico de cada caso. Elaborando uma Visualização Computadorizada da Expectativa de Tratamento Ortodôntico e/ ou Ortognata ( VCETOO), poderemos ter uma idéia, antever aquilo que estamos planejando, efetuando alterações caso não seja do nosso agrado. Não é por certo um método absolutamente científico e infalível. Longe disto, é uma avaliação subjetiva que deverá ser tomada como tal. Porém, sem a menor dúvida, é muito melhor do que a avaliação, o planejamento que fazemos e fica só em nossa imaginação, em nosso pensamento, de forma etérea, sem possibilidades de servir como parâmetro para avaliações futuras. Não necessariamente esta VCETOO deverá ser mostrada ao paciente, poderá ser apenas um material reservado para nossos estudos, constituindo mais uma valiosa fonte de informações e aprendizado. Comparar imagens do que planejamos, com os resultados obtidos é uma experiência enriquecedora. Em minha clinica isto tem sido mais uma fonte de aprendizado e satisfações.Enfatizamos, o computador apenas facilita a elaboração da VCETOO, carrega todas as imperfeições decorrentes do estudo em Terradiografias Cefalométrica, o qual é bidimensional e a face do paciente é tridimensional. Desde que nasceu, até hoje, o estudo cefalométrico continua com este mesmo problema fundamental. No entanto, a ortodontia, nestes 64 anos de estudos cefalométricos, conseguiu compreender e avaliar estas informações, de tal forma que vieram constituir uma contribuição científica de imensurável valor para o estudo da face. É inegável a grande contribuição científica da cefalometria, ainda que tenha as suas imperfeições. Ansiamos pelas imagens tredimensionais, as quais já estão à nossa vista. Esperamos poder contar com elas, a nível clínico, muito em breve. Até lá, vamos trabalhando com nossa cefalometria e imagens bidimensional, com a qual a ortodontia e a cirurgia ortognata aprenderam muito e continuamos aprendendo, graças à Deus.


            Leitura sugerida:
 

           1 -  VCETOO

           2 - Legalidade dos arquivos eletrônicos