TRANSCRITO DA REVISTA "ORTODONTIA", ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PAULISTA DE ORTODONTIA - N 39 - Setembro/ Outubro 1995

CÓPIAS DE SEGURANÇA

Dr. Cléber Bidegain Pereira

Assim como os assaltos e outras coisas ruins, quem é otimista, como eu, pensa que só acontecem com os outros. Mas, de repente acontece com a gente mesmo. Foi o que me ocorreu com dois winchester de 1.2 Gb, cada, que se estragaram definitivamente, os dois, perdendo todos os arquivos que tinham neles. Um dos HDs foi "consciencioso", deu falhas intermitentes, sinais bem claros de que eu deveria tirar, imediatamente, todos os dados que tinham ali. Acontece que nestes dias eu estava correndo, preparando os retoques finais em um curso... Não atendi a sugestão evidente. E... de repente o HD deixou de funcionar irremediavelmente. Como se fosse uma epidemia, o outro, que estava no computador secundário, travou sem aviso prévio e sem voltar a funcionar.

Foi, realmente, um grande choque que eu levei. Todos nós sabemos que isto acontece, mas não acreditava que fosse acontecer comigo, mais ainda em dois HDs, instalados a pouco tempo.

Agora estou "salvando os destroços". Felizmente tenho cópias em CD-ROM, em Tape e no computador do consultório. Perdi apenas os dados dos últimos 10 dias. Ficou a lição: cópias diárias devem ser feitas sistematicamente e quando ocorre um sinal de falha no HD, fazer cópias com prioridade imediata.

De uma maneira geral, os programas fazem automaticamente cópias backup. Sendo que alguns deles, como os editores de textos, oferecem opções de tempo e local para cópias, o que se pode determinar na configuração do programa (*).

Tendo-se dois winchesters no mesmo computador, o que é muito recomendável. Pode-se fazer o backup no segundo winchester. Tendo-se dois computadores ligados em rede, é preferível que o backup seja feito no computador secundário(**).

Outra alternativa, quando se trata de arquivos pequenos, como são os textos ou financeiros, as cópias temporárias podem ser feitas em disquete de 1.44. Os arquivos de imagens, com volume maior que 1.44, não cabem nos disquetes, poderá recorrer a um HD externo. Aliás muito prático e de grande utilidade, pois possibilita transportar, facilmente, de um equipamento para outro, grande volume de dados (***).

Estas cópias, referidas até agora, são cópias temporárias. Para ter a maior garantia, cópias definitivas devem ser feitas em CR-ROM, onde cabem 690 Mb. O winchester não é um local totalmente confiável para guardar definitivamente, valiosos arquivos. Como também não são os disquetes e as fitas (tape backup).

O CD-ROM sim, ele tem gravação física e, ao contrário dos disquetes e fitas, é imune aos campos magnéticos e variações de temperatura ambiental. Mesmo com alguns arranhões os CD-ROMs continuam funcionando bem. São quase indestrutíveis. Depois de gravados não é possível modificar ou acrescentar dados, o que constitui uma desvantagem. Porém, por outro lado, como cópias de reserva definitiva, é uma vantagem porque seus dados não podem ser apagados acidentalmente.

O equipamento para gravação de CD-ROM ainda é caro para o usuário individual. No entanto, isto não constitui problema, pois existem empresas que prestam este serviço por preço razoável, menor do que o custo de disquetes.

Para remeter as cópias temporárias para o serviço de gravação do CD-ROM, eu acumulo em fitas (Tape Backup). Diga-se de passagem que o Tape é o sistema menos confiável para guardar dados. Eu só utilizo temporariamente, como meio de transporte. Outra alternativa que pode ser usada como transporte de dados é o HD externo, ou mesmo um HD comum extra, que se ligará provisoriamente no computador.

No meu entender o CD-ROM é o melhor meio de guardar dados. Eu já tenho város. No entanto, existem ainda outras alternativas, como "zipar", comprimir os arquivos com um programa especial, isto pode ser feito com facilidade através de um "bat" (****).Também os disquetes Floptical de 120 Mb, semelhantes em forma, tamanho e funcionamento aos disquetes 1.44, os quais rodam em disqueteira especial e tem gravação laser. Além de grande capacidade, são mais rápidos e seguros do que os comuns.

O certo é que, de uma ou de outra maneira, é necessário ter cópias de reserva feitas diariamente e não confiar no winchester como única alternativa. Um dia ele pode falhar como aconteceu agora comigo.


(*) Quando seu HD estiver pequeno para o volume de informação que tem, ao invés de trocá-lo por outro maior, deixe ele como está e coloque outro, que passará a ser o winchester "D". Isto é possível, fácil e muito vantajoso em vários aspectos.

(**) Backup automático do Amipro - TOOLS - USER SETUP - PAHTS. Do Word 6 - UTILITÁRIOS - OPÇÕES - SALVAR - Se o programa não oferece a opção de configurar a backup automático, deverá recorrer-se ao mecanismo tradicional do Gerenciador de Arquivos.

(***) O HD externo é ligado na porta paralela, onde liga-se a impressora. Não perde-se a impressora, pois esta pode ser ligada em local próprio no HD externo.

(****) "bat" é um pequeno programa que se prepara individualmente, dando um elenco ordens ao computador com apenas uma palavra digitada.