Acidente com a Ingestão de Uma Barra Transpalatina( BTPs)
 

*Freitas, C. M. de,
**Amorim, José R. de,
 

Introdução:
Sabe-se que a terapêutica Ortodôntica fixa em seu protocolo necessita de ancoragem quando são efetuados retrações de um dente ou segmento. Um dos métodos desta ancoragem pode ser feita pelo uso das Barra transpalatina  ( BTPs  ) soldadas ou encaixadas no tubo lingual.
Este trabalho  relata  um caso clínico, onde um indivíduo ingeriu uma BTP e  nos despertou a necessidade de divulgação entre os colegas,  para que possamos mais um vez nos prevenir de futuros processos cíveis e éticos, sem dolo.

Relato do Caso Clínico:
Paciente: T.N. O.
Idade: 18 anos
Gênero: Feminino
Local: Cidade de Petrolina-PE
Maloclusão de Classe II- div. 1o
Aparatologia: Fixa filosofia Roth
Após a instalação da aparatologia fixa  e o referido acessório de ancoragem, encaixados nos tubos lingual e transcorrido 15 dias,  o indivíduo em referência queixou-se de ter  ingerido acidentalmente a BTP. Após questionário, constatou-se que, por fazer uso constante de balas provocou a soltura da ligadura que fixava a BTP. Sem este travamento  o paciente ficou retirando e colocando, por não haver aceito inicialmente o incomodo que provoca estes tipos de acessórios de ancoragem intrabucal.
O procedimento  neste caso foi de acompanhar a movimentação do objeto ingerido, por  meio de radiografia do Estômago e intestinos ( delgado e grosso ) por um médico. Este por sua vez informou que o perigo maior seria a BTP encravar-se  em um dos três locais :
1. válvula limite do estômago p/ intestino delgado;
2. válvula limite do intestino delgado p/o intestino grosso (figura n/01)
3. válvula limite do intestino grosso p/o reto. Onde cada um teria procedimentos diferentes.
O caso em questão, quando foi radiografado, estava no intestino delgado onde foi indicado pelo médico  os seguintes procedimento:
1. Uma colher de sopa, a cada seis ( 6 ) horas,  de óleo mineral  por dois dias;
2. Acompanhar diariamente a evacuação do pacientes. Em virtude da não regularização do intestino do indivíduo, e, o não comprimento das indicações médicas, o indivíduo evacuou a BTP só após 48 horas ( figura n/02 ).

CONCLUSÃO
Com a devida apresentação, concluímos que: a) os riscos de acidentes em ortodontia podem ocorrer em quantidade muito maior que possamos imaginar; b) os profissionais que utilizarem-se  do  acessório de BTP como ancoragem devem ter cuidados redobrados em sua fixação; c) o protocolo indicado pelo médico deve ser seguido rigorosamente.



* Prof. de Ortodontia da Faculdade de Odontologia de Caruaru-PE (ortocleves@uol.com.br )   ** Cirurgião dentista