Bom balance esquelético. Protrusão dentária superior. Molares em topo.  
Ressalte e sobremordida Incisal, com mau feche labial.  
O caso tem ausência congênita do segundo prémolar inferior esquerdo.  
Presença dos terceiros molares com aparência radiográfica de normalidade. 
 
 
 
 
 
 

                                   Vamos trocar idéias ? 
 

                                   AGUARDO SUA MANIFESTAÇÃO   


Caro Cléber,
 
Mais uma vez quero parabenizá-lo pela excelente página e também pela iniciativa  e espero que continue sempre com este
entusiasmo.
Vou arriscar a dar um palpite e espero que seja útil. Tendo em vista o perfil reto do paciente, sendo ele do sexo masculino, em pleno crescimento facial e corporal, boa inclinação dos incisivos em sua base óssea e muscular , sem apinhamentos e,
principalmente , o dente decíduo apresenta sua raiz bem formada, eu deixaria este dente no arco e rezaria para ele durar o maior tempo possível. No livro do Proffit, ele mostrar casos onde esses dentes permanecem na boca por mais de 60 anos.
Uma outra opção seria a exodontia dos outros 2 pré-molares, visto que ele apresenta todos os 3 molares. Só que esta mecânica, acredito, seria mais para perder ancorarem e para dar espaço para erupcionar os 3 molares. Só que com este procedimento, provavelmente você poderá achatar um pouco o perfil,  que neste caso não ficaria tão ruim.
A decisão do tratamento depende de um bom exame clínico, que com certeza você fez. Me diga qual foi a sua decisão.
 
Um abraço,
Valter.

------

PLANEJAMENTO

Decidi esperar seis meses e até um ano ser for necessário.  Observarei o comportamento do molar decíduo (*) e o desenvolvimento dos terceiros molares.
Provavelmente farei extração dos três segundos prémolares, depende se os terceiros mostrarem boa formação e posição.
Iniciarei agora com mecânica de Classe II,  corrigindo o ressalte e sobre mordida incisal. (**)



(*)  Também eu tenho vários casos em que o molar decíduo permaneceu por muitos anos. Mostrei em muitos cursos o que chamava de  " dente de leite da vovózinha " .  Sim uma paciente minha de menina, que acompanhei seu molar decíduo até quando já era avó...  Porém,  também  vi muitos outros molares decíduos, sem seu correspondente permanente, serem reabsorvidos total e rapidamente.
 
     Este  é  o caso,  de  um outro paciente, muito 
 elucidativo da inconstância de reabsorção dos 
 decíduos  sem o  permanente correspondente.
 Há ausência congênita dos 35 e 45. De um lado
o molar decíduo foi reabsorvido e esfoliou. No 
outro lado o molar decíduo está íntegro e pode-se 
esperar que dure muitos anos. 
 
 
 

(**)  Estive um dia inteiro com o Prof. Alexander Jacobson, meu amigo de 27 anos,  mostrei-lhe vários casos, com o auxílio de meu laptop.  Jacobson concordou com todos os casos  e os conceitos filosóficos, sobre Expansão, que lhe apresentei.   Inclusive concordou com o planejamento deste caso, ir arrumando " a casa "  e depois de um tempo, não mais de um ano,  resolver o que fazer:  extrair os prémolares ou deixar o decíduo.